coisas de longe…

Antes da Chuva Chegar
Guilherme Arantes

Sinto agora que o vento
traz coisas de longe de casa libertando a voz
são lugares perdidos, imagens confusas de tempos
que não voltam mais
e pessoas com quem conviví, suas palavras, seus sonhos,
seus atos, seus modos de ver a vida
olhe o que o vento traz, antes da chuva chegar

Pela rua deserta e forrada
de folhas caídas que voam ao léu
corre o meu pensamento
no rastro das nuvens pesadas que habitam o céu

Vejo a casa na qual me criei,
vejo a escola, o jardim,
vejo a cara de cada um dos meus companheiros.
olhe o que o vento traz, antes da chuva chegar
olhe o que o vento traz, antes da chuva chegar

A apaixonante poesia de Matilde Campilho – Fevereiro

 

Escute só, isto é muito sério. Anda, escuta que isso é sério! O mundo está tremendamente esquisito. Há dez anos atrás o Leon me disse que existe uma rachadura em tudo e que é assim que a luz entra, não sei se entendi. Você percebe alguma coisa da mistura entre falhas e iluminação?  Aliás, me diga, você percebe alguma coisa de carpintaria? Você sabe por que meteram um boi naquele estábulo ao invés de um pequeno rinoceronte? Deve ter tido alguma coisa a ver com a geografia. Ou com os felizmente insolussionáveis mistérios que só podem vir do misticismo asiático. Um boi é um bicho tão… inexplicável. Ainda bem. O amor é um animal tão mutante, com tantas divisões possíveis. Lembra daqueles termômetros que usávamos na boca quando éramos pequenininhos? Lembra da queda deles no chão?  Então, acho que o amor quando aparece é em tudo semelhante à forma física do mercúrio no mundo. Quando o vidro do termômetro se quebra, o elemento químico se espalha e então ele fica se dividindo pelos salões de todas as festas. Mercúrio se multiplicando. Acho que deve ser isso uma das cinco mil explicações possíveis para o amor. Ah é! Eu gosto de você. A luz entrou torta por nós a dentro, mas, olha, eu gosto de você! A luz do verão passado quebrou o vidro da melancolia e agora ela fica se expandindo pelas ruas todas. Desde aquele outro lado do Sol até esse tremendo agora.  Hoje ainda faz bastante frio. As cinzas ainda não aterraram sobre as cabeças disfarçadas, tem gente batucando suor e cerveja pelas ruas de nossa cidade sul. Na cidade norte, há ondas de sete metros tentando acertar no terceiro olho dos rapazinhos disfarçados de cowboys. [suspiro] O mestre ainda não veio decretar o começo da abstenção e, olha, a luz ainda está conosco. Sim, o mundo está absurdamente esquisito. Já ninguém confia nas imposições dos prefeitos, a esta hora na terra é um tanto carnaval, um tanto conspiração, um tanto medo. Metade fé, metade folia, metade desespero. E, provavelmente, a esta hora, uma metade do mundo está vencendo e a outra metade dormindo, há ainda outra metade limpando as armas, outra limpando o pó das flores. Mas,  por causa do que me ensinou o místico, eu acredito que exista, agora, alguém profundamente acordado. Alguém que esteja vivendo entre o intervalo tênue entre o sonho e a agilidade. Suponho que ele saiba perfeitamente que este começo de século será nosso batismo do voô para nossa persistência no amor.João molhou a testa de Manuel. Os gritos das ruas molham as testas de nossos corações.  De que lado você está, eu não me importo! De que garfo você come, de que copo você bebe, que posto certo você escolhe, qual é seu orixá, seu partido, sua altura, de qual de suas cicatrizes cuida, que pássaro você prefere, quem é seu pai, qual é seu samba, Pinot noir ou Chardonay, que protetor você usa,  qual é sua pele, seu perfume, qual político, quantos amores você sonha, em que Fernando, em que Ofélia, em que cinema, em que bandeira, em que cabelo você mora, qual dos túneis de Copacabana. Rezo para seus santos quando atravessar. É… é impossível viver no país de Deus. Isso eu te dou de barato. Mas, atravessar o gramado de Deus em bicicleta, isso não é impossível, não. Escuta, isso é sério! Andamos crescendo juntos, distraidamente. As árvores crescem conosco. Nossa pele se estende, nosso entendimento, teso, também. O século cresce conosco. O amor pelas ventas da cara do mundo, também. Quanto a um pra um entre nós dois, isso logo se vê. Não sei nada sobre a paixão, suspeito que você também não. Mas, começo a entender que o compasso da fé está mudando a passos largos. Dois pra lá e dois pra cá. Portanto, escute. Isto é muito serio! Isto é uma proposta aos trinta anos. Agora que o mercúrio assumiu sua posição certa, vem comigo achar o meu trono mágico entre a folhagem. E, no caminho até lá, vem dançar comigo, vem!

 

Mais sobre Matilde Campilho :))

 

957436

you are…

 

If you must wait,
Wait for them here in my arms as I shake
If you must weep,
Do it right here in my bed as I sleep
If you must mourn, my love
Mourn with the moon and the stars up above
If you must mourn,
Don’t do it alone

If you must leave,
Leave as though fire burns under your feet
If you must speak,
Speak every word as though it were unique
If you must die, sweetheart
Die knowing your life was my life’s best part
And if you must die,
Remember your life

You are
You are
Oh, you are
You are
Oh

“You” por Keaton Henson

 

uma poesia…

By Kika Domingues

By Kika Domingues – Taciana e Ygor

E eu amo as mulheres de olhos bonitos,

 As com pés pequenos e cintura larga;

Eu as amo muito; as amo como elas são

As suas mãos suam, as suas respirações param

Amo as mulheres que são inocentemente tristes

As que são como gazelas inocentes, tímidas

Eu as amo muito, eu as amo como elas são

Não pode imaginar como elas são lindas quando beijam

Eu amo as mulheres inteligentes, as que pensam,

As que falam menos, as que sabem tudo

As que em qualquer lugar, qualquer hora

podem ser perdoadas por seus caprichos

Eu as amo muito, eu as amo como elas são

E aquela que há de provocar os infinitos incêndios dentro de mim

Mesmo que venha a me causar a própria morte.

 

Essa poesia foi recitada por um dos protagonistas de uma novela turca que estou acompanhando (Amor Proibido). A transcrevi para guardar. Não tenho nenhuma referência da autoria; se pertence ao autor da novela , ou se é obra de algum poeta turco. Não achei menção nenhum no google sobre ela. Bela poesia 🙂

Trio Amaranto e Orquestra de Câmara de Ouro Branco – não deixe de ouvir…

E aí, numa quinta feira Santa você descobre esse trabalho mais recente do Trio Amaranto, sublime, poético e! Só nos resta alimentar o espírito com o que há de mais sublime e divino, a música :))

 

    Link para a Parte 2, imperdível

Making Of

Pesquise sobre esse maravilhoso grupo e tenha surpresas  lindas e mais lindas

TUDO SE COMPLETA DE ALGUM JEITO… E sobre o disco LUZ de Djavan

LUZ DO SOL

LUZ DO SOL

 

 

…E na dor

eu passo um giz

arco-irisando a solidão

na lição

que o sol me traduz:

viver da própria luz

(Djavan)

Para ouvir a música Luz

Sobre o disco LUZ, por Djavan (1982)

LUZ - Djavan

Capa do disco via sinistersaladmusikal

MOMENTO DE SONHO REAL… Precioso

lo-borges-sonho-real-b

***

A primeira vista
A paixão não tem defesa
Tem de ser um grande artista
Pra querer se segurar
Faz tremer a perna
Faz a bela virar fera
Quando alguém que a gente espera
Quer se chegar

Só de pensar
Já me faz mais feliz
Nem bem o amor começa
Eu já quero bis

Chega e instala a beleza
No mesmo momento. . .

Ilusão tão boa
Quanto o astral de uma pessoa
Chega junto, roça a pele
E já quer se enroscar
Lê seu pensamento
Paralisa seu momento
Ao se encostar

Sonho real faz surpresa pra mim
e transe o meu destino com alguém assim

Chega e instala a beleza
No mesmo momento…

Felicidade pode estar pelo sim
Às vezes do seu lado
Tem alguém afin

Chega e instala a beleza
Momento de sonho real

Vem andar comigo
Numa beira de estrada
Desse lado ensolarado
Que eu achei pra caminhar
Vem meu anjo torto
Abusar do meu conforto
Ser meu bem em cada porto
Que eu ancorar

Sonho real faz surpresa pra mim
e transe o meu destino com alguém assim

Chega e instala a beleza
Momento de sonho real

(Sonho Real)

comprar disco do Lô Borges ?

Para ouvir esse clássico romântico 🙂  Sonho Real

IRMÃO SOL, IRMÃ LUA… O LIRISMO DE FRANCO ZEFFIRELLI

A história de São Francisco de Assis (irmão sol)

 e Santa Clara (irmã lua)

 contada em um lindo filme repleto de sutilezas… De poesia!

Se você é um amante dos filmes de artes não pode deixar de assistir…

Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis
(Assis, 5 de julho 1182 — 3 de outubro  de 1226), foi um frade  católico da
Itália. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para uma vida
religiosa de completa pobreza, fundando a ordem mendicante  dos Frades Menores,
mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o Catolicismo de seu tempo. Com
o hábito da pregação  itinerante, quando os religiosos de seu tempo estavam mais
ligados aos mosteiros rurais, e com sua crença de que o Evangelho devia ser
seguido à risca, imitando-se a vida de Cristo, desenvolveu uma profunda
identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio
Cristo. Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha
da Criação, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as
criaturas chamando-as de irmãos. Alguns estudiosos afirmam que sua visão
positiva da natureza e do homem, que impregnou a imaginação de toda a sociedade
de sua época, foi uma das forças primeiras que levaram à formação da filosofia
da Renascença. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_de_Assis)

——– ** ——-º-

Ficando “ZEN”…

By Kika Domingues

Muitas vezes dizemos a nós mesmos,

 ” Não fique aí sentado, faça alguma coisa!”.

Quando praticamos a plena consciência, porém ,

descobrimos que o contrário pode ainda ser mais valioso:

 “Não fique aí fazendo alguma coisa. Sente-se!”.

Precisamos aprender a parar de vez

em quando a fim de ver com nitidez.

A princípio, “parar” pode parecer

uma “resistência à vida moderna”,

 mas não se trata disso.

“Parar” não é só uma reação; é um estilo de vida.

A sobrevivência da humanidade depende

de nossa cpacidade de desacelerar.

Temos mais de 50.000 bombas atômicas e, mesmo assim,

não conseguimos parar de fabricar mais.

 “Parar” não significa um basta ao que é negativo,

 mas também permitir que se realize uma cura positiva.

É esse o propósito da nossa prática-não evitar a vida,

mas experimentar e comprovar que a felicidade

é possível agora e também no futuro.

http://interserblog.blogspot.com/

MIGUEL FALABELLA – S a u d a d e . . .

 

sem título5

Saudade

“Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de

 muito grave para sentirmos tanta saudade”.

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, doem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é a saudade. Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade.

Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa. Doem essas saudades todas. Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida.

Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã. Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é basicamente não saber. Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio. Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia. Não saber se ela ainda usa aquela saia. Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada, se ele tem assistido as aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua preferindo Malzebier, se ela continua preferindo suco, se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados, se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor, se ele continua cantando tão bem, se ela continua detestando o McDonald’s, se ele continua amando, se ela continua a chorar até nas comédias.

Saudade é não saber mesmo! Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer. É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso… É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer. Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler…

Miguel Falabella imagesmf

 

 

 

 

 

 

V I A J A R

  

25ane05

 

Um homem precisa viajar.

Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV.
Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu.
Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor.

Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto.

Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.

Um homem precisa viajar para lugares que não conhece

para quebrar essa arrogância

que nos faz ver o mundo como o imaginamos,

e não simplesmente como é ou pode ser.

 
Que nos faz professores e doutores do que não vimos,

quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”

(Amyr Klink)

 

sem títuloak

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 
   
 
 
 

 

RECEITAS DE OLHAR (livro) – ROSEANA MURRAY

Roseana6-md

Roseana Murray via Magia das Letras

“As receitas falam da vida

 e de suas inúmeras

facetas captadas pelo olhar agudo

da poesia de Roseana Murray

 

RECEITA de arrumar gavetas

 

separe coisa por coisa:

de um lado o pólen do passado

as raízes do que foi importante

os retratos os bilhetes

os horários de chegada

de todos os navios-pirata

os sinos que anunciam

que há um amigo na estrada

 

do outro lado um espaço vazio

para o que vai acontecer

as surpresas do destino

os desatinos do acaso

RECEITA de desamarrar os nós

 

desamarre os nós do sapato

depois desamarre os pés

desamarre os laços inúteis

os nós do que não serve mais

desamarre o barco do cais

os nós da s janelas

e então deixe que o vento…

 

 

RECEITA de abrir o coração

 

a chave é pequena

de ouro e coragem

o coração é labirinto viagem

muralha abismo trapézio

porta aberta para o outro

gaveta aberta para a vida

coraçao

Se você chegou até aqui, saiba que esse é um dos post mais

visitados do meu querido blog:))  e para saber mais sobre essa poeta

de olhar agudo e sensível visite a sua incrível página na internet.

CITAÇÕES… Para Refletir

 

 

Nunca tive outra idade

 senão a do coração

Anne (Ninon de) Lenclos

 ———————-

 

Foi o tempo que dedicaste à tua rosa

que fez tua rosa tão importante. 

( em O Pequeno Príncipe)  

A inteligência apenas vale ao serviço do amor

O que nos salva é dar um passo e outro ainda

(Antoine de Saint Exúpery)

 

                                                                                                       

 °°°°°°°°°°°°°°°°
 
 
Amar é mudar a alma de casa.

(Mario Quintana)

°°°°°°°°°°°°°°°

Somos o que pensamos.

o que somos surge com nossos pensamentos.

Como nossos pensamentos,

fazemos o nosso mundo.

 (Buda)

°°°°°°°° 

A vida é uma viagem a três estações:

ação, experiência e recordação. 

(Julio Camargo)

************

 

Não tenho um caminho novo.

O que eu tenho de novo é um jeito de caminhar.

(Thiago de Melo)

°°°°°°°° 

Não basta saber, é preciso também aplicar;

não basta querer, é preciso também fazer

 

(Máximas e Reflexões) 

———————– 

Tudo o que amamos profundamente

converte-se em parte de nós mesmos

 

(Helen  Keller)  

—————–     

O que é a abundância? Um nome, nada mais;

ao sensato basta o necessário.

 

 O tempo dirá tudo à posteridade. É um falador.

Fala mesmo quando nada se pergunta

(Eurípedes)

°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

 

"O que você sabe, não tem valor algum,

o valor está no que você faz com o que sabe."

Marco Natali

 

   

Previsões 2007 para os Leoninos… é por aí gente!!

 
PREVISÕES
 
Sérgio Frug na Caras escreve as previsões para os leoninos em 2007…
 
——————————
“Você não precisará agradar a ninguém, leonino.
Nem mesmo a si próprio. Basta fazer o que necessita
e confiar que tudo se encaixará da maneira mais
adequada ao momento. Você terá de enfrentar situações difíceis.
Mas o júbilo e a alegria tomarão conta de seu coração.”
 
°°°°°°°°°°°°°°°°°°

E mais… Olha o que diz o artigo do psiquiatra Paulo Sternick:

“ficar sozinho por um tempo ajuda a crescer”.

“…A solidão pode se converter em rica fonte de crescimento,

experiência e renovação.”

ºº

“…Mas este não é apenas um momento de tristeza,

é também um tempo de cultivo, plantio e esperança.

Pois o sentimento de solidão não é causado porque não há alguém do lado,

mas por se estar mal acompanhado de si próprio.”

“…É importante nos protegermos do espírito descartável da cultura atual,

da obrigação de ser ‘feliz’…”

 

Impressões, Imagem, Mentiras, Verdades…

 

Pôs-se a desconstruir a imagem meticulosamente produzida,

peça por peça.

Nua, deixou o corpo tombar sobre a cama,

como houvesse matado leões na arena da existência.

 

——–

 

As palavras mentem.

 As histórias verdadeiras

provavelmente são ficções,

e as ficções ocultam possíveis verdades.

Mas nada é sério, nada é certo,

tudo é meio confuso, como o mundo,

como palavras.

(by meraluz)

 

 
 —————————
 
A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam. Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades diferentes uma da outra.
Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela. E carecia optar.
Cada um optou conforme seu capricho, sua ilusão, sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade

 

 

FELIZ 2007, FELIZ ANO NOVO!!!

 

Quem teve a idéia

de Cortar o tempo em fatias

a que se deu o nome de ANO

foi um indivíduo genial,

industrializou a esperança,

fazendo-a funcionar

no limite da exaustão…

 

Doze meses dão para qualquer ser humano

Se cansar e entregar os pontos.

 

Aí entra o milagre da renovação

E tudo começa outra vez com outro número

E outra vontade de acreditar

Que daqui por diante vai ser diferente

 

Carlos Drummond de Andrade