Para o Deus Menino nos abençoar…

/tumblr_lo0ep1lLGu1qezai3.jpg

É tempo de NATAL… Tempo de espera…

Faça um desejo… Ofereça um presente!

Quer uma sugestão?

“Para seu inimigo, o perdão.

 Para um oponente, a tolerância.

Para um amigo, sua lealdade

Para seu amor, seu coração.

Para tudo, a boa vontade.

Para um irmão, a caridade.

Para toda criança, um exemplo bom.

 Para você, o respeito .”

.♦.

 – • –

A D V E N T O 

NATAL do DEUS MENINO

Espera e Vigília:

 Advento significa “vinda”, “chegada”. Está relacionado à chegada de Deus ao mundo.

Tempo determinado para a preparação da festa do nascimento de Jesus.
Ao mesmo tempo, esta “espera” recebe os traços litúrgicos e de comportamento próprios de uma “vigília”, a partir do impacto da expectativa das comunidades cristãs (venha o teu reino) relacionada à nova vinda de Cristo, à chegada do “novo Céu e a nova terra”.

Temos nesta época conteúdos de fé e tradições cristãs que promovem a alegria, causada pelas dádivas de Deus relacionadas ao nascimento de Jesus e pela expectativa de uma ação salvadora plena que ainda vai chegar, neste caso uma antecipação da grande alegria vindoura.

Esperança:

Advento é um tempo apropriado para fomentar a construção da esperança, uma esperança que transcende os limites das necessidades materiais e imediatas, uma esperança que inclui uma visão de mundo, de tempo e espaço onde é possível a dignidade, a justiça, a paz e o amor, o equilíbrio da vida e da Criação de Deus. Para a construção desta esperança necessário se faz re-elaborar e resistir aos apelos do consumo, próprios desta época em que o comercio e outras ações típicas da sociedade de consumo propõe, subvertendo os conteúdos e as tradições criadas em torno do Natal de Deus no mundo.

http://www.luteranos.com.br/3021/artigos/nota03.html

NATAL da Noite de Luz!

  (http://nanipatch.blogspot.com/

 
Evangelho (Lucas2,1-11)
 
 
Por ser da família e descendência de Davi,
Aconteceu que, naqueles dias,
César Augusto publicou um decreto,
ordenando o recenseamento de toda a terra.
 
Este primeiro recenseamento foi feito
quando Quirino era governador da Síria.
 
Todos iam registrar-se cada um na sua cidade natal.
 
José subiu da cidade de Nazaré, na Galiléia,
até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judéia,
para registrar-se com Maria,
sua esposa, que estava grávida.
 
Enquanto estavam em Belém,
completaram-se os dias para o parto,
e Maria deu à luz o seu filho primogênito.
 
Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura,
pois não havia lugar para eles na hospedaria.
 
Naquela região havia pastores
que passavam a noite nos campos,
tomando conta do seu rebanho.
 
Um anjo do Senhor apareceu aos pastores,
a glória do Senhor os envolveu em luz,
e eles ficaram com muito medo.
 
O anjo, porém, disse aos pastores:
“Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria,
que o será para todo o povo.
 
Hoje, na cidade de Davi,
nasceu para vós um Salvador,
que é o Cristo Senhor.
 Isto vos servirá de sinal:
Encontrareis um recém-nascido
envolvido em faixas
e deitado numa manjedoura”.