Tempo…

Resposta ao Tempo

Aldir Blanc e Cristovão Bastos

Batidas na porta da frente é o tempo
Eu bebo um pouquinho pra ter argumento
Mas fico sem jeito, calado ele ri
Ele zomba de quanto eu chorei
porque sabe passar e eu não sei
Num dia azul de verão sinto vento
há folhas no meu coração é o tempo
recordo um amor que eu perdi ele ri
Diz que somos iguais se eu notei
pois não sabe ficar e eu também não sei
E gira em volta de mim
sussurra que apaga os caminhos
que amores terminam no escuro sozinhos
Respondo que ele aprisiona, eu liberto
Que ele adormece as paixões e eu desperto
E o tempo se vai com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor pra tentar reviver
No fundo é uma eterna criança
que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder me esquecer me esquecer.

CONSUELO DE PAULA , uma mineira cheia de poesia…

1Ale e Con_MG_5361

google.com

 

 

Para guardar e não mais esquecer dessa compositora mineira (poetisa), música maravilhosa, Consuelo de Paula. Mais uma preciosidade para o meu “livro de recortes”… “Garimpando” você vai encontrar coisas belíssimas.

A canção em destaque neste post  faz parte do projeto musical que trás o título “Dança das Rosas”:

“A canção sugestiva “Dança Para Um Poema” inaugura Dança das Rosas como uma nascente de um rio longo: “… passam rios no meu corpo, na minha voz, navios e embarcação”. A composição é uma conversa com os três movimentos do Poema Para Dança de Maria Del Carmen.” Leia mais http://www.consuelodepaula.com.br/dancadasrosas/release.htm

A Consuelo por ela mesma!

Acompanhe os links abaixo, vale a pena!

Dança Para Um Poema
Consuelo de Paula

Dou-te a minha pele, a minha mão
Hoje sou a terra da criação
Passam rios
No meu corpo
Na minha voz
Navios
E embarcação

Hoje sou a terra onde nasceu
Onde minha tribo nunca morreu
Meus pés irão
Desenhar
O coração
A montanha
E a nação

Mostro minha dança
Vento, canção
Lírios e madeiras
Vinhos e pão
Mostro a ti
Com a minha mão
O amor, o sal
Pedra e paixão

Eu sou o jardim
O solo, o quintal
A dança do milho
A espiga afinal
Um corpo teu
Nele pisas
Inda não vês
Te alimentas
Inda não crês

Sou um continente
Desconhecido
Um salão de dança
A imensidão
A minha pele
A minha mão
Eu vou te dar
Te convidar
Para dançar

Luiza Dvorek interpreta Dança para um poema

Consuelo Interpreta Convite. Vale a pena!

Consuelo Interpreta “Retinas”

Playlist You Tube Consuelo de Paula

Letras e Músicas de Consuelo de Paula

consuelo blog

google.com

 

Luar espere um pouco que Chico Buarque está fazendo 7.0

 

 

De olhos apaixonantes, voz inconfundível e estilo no cantar, meu Chico e de todo mundo está completando 70 anos… São várias as homenagens a esse músico, poeta instigante, filósofo,rebelde, visionário e tantas coisas mais…

Cresci, amadureci e cheguei até aqui ouvindo e cantando Chico Buarque de Hollanda.

Lembro como se fosse hoje, eu  três anos de idade, ainda de fraldas, vendo a minha imagem refletida no vidro da “radiola” da minha casa, escutando,dançando, aprendendo as letras e cantando as melodias de Chiquinho(nem sabia o que significava mas já sentia que a coisa era muito boa rssss), hipnotizada pelos seus lindos olhos, na fotografia que estampava a capa do seu primeiro Vinil lançado em 1966…

Eu morava no alto sertão do Piauí, meu pai trabalhava na Chesf e estávamos todos acampados para a construção da Barragem de Boa Esperança, sim! Mas a sua voz chegava até lá!

É uma paixão antiga… Um amor eterno…   Vamos que vamos Chiquinho!!

 
Para ouvir o Vinil completo (Eu tenho esse vinil :-))
http://www.youtube.com/watch?v=rKL-lRCmbis