Aniversário… Meu desejo para hoje :))

_DSC0248essab

A poesia em mim – por Kika Domingues

Que a arte não se torne para ti a compensação daquilo que não soubeste ser

Que não seja transferência nem refúgio

Nem deixes que o poema te adie ou divida: mas que seja

A verdade do teu inteiro estar terrestre.

A casa térrea – Sophia de Mello Breyner Andresen

Hoje é dia da Poesia… Tom Jobim

Eu amo poesia, música e fotografia…

Tom, poeta e músico, cantou uma história…  “a meia luz”

Uma linda cena aonde ao mesmo tempo em que o sol se põe a lua nasce…

Fotografia :))

E viva a poesia!

Paula Morelenbaum, Jaques Morelenbaum & Ryuichi Sakamoto – Fotografia (Photograph) by Antonio Carlos Jobim

-uploaded in HD at http://www.TunesToTube.com

Tempo…

Resposta ao Tempo

Aldir Blanc e Cristovão Bastos

Batidas na porta da frente é o tempo
Eu bebo um pouquinho pra ter argumento
Mas fico sem jeito, calado ele ri
Ele zomba de quanto eu chorei
porque sabe passar e eu não sei
Num dia azul de verão sinto vento
há folhas no meu coração é o tempo
recordo um amor que eu perdi ele ri
Diz que somos iguais se eu notei
pois não sabe ficar e eu também não sei
E gira em volta de mim
sussurra que apaga os caminhos
que amores terminam no escuro sozinhos
Respondo que ele aprisiona, eu liberto
Que ele adormece as paixões e eu desperto
E o tempo se vai com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor pra tentar reviver
No fundo é uma eterna criança
que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder me esquecer me esquecer.

Não há poema no mundo que não nos pertença…

amanhecendo - by kika domingues
Eu sei que mesmo as coisas que fazem falta estão presentes. Sei que estás aqui comigo porque o nosso amor é uma música que coreografa a minha vida. Eu visto a casa para morar com essa sua presença, estendo a cama à tua maneira e cozinho o que gostaria que comesses comigo. Quando rio, sei que tu gostarias de me ouvir gargalhar e, assim, tu és responsável pela minha risada um tantinho mais alta do que costumava ser, um tantinho mais solta do que costumava ser, um tantinho mais colorida. Todas as músicas passaram a ser nossas de alguma forma, por alguma frase, e não há poema no mundo que não nos pertença. Meus gestos, todos, passaram a ser reféns do teu olhar e, mesmo de longe, eu sei que teus olhos estão em mim e então faço mimetismo de ombros e caretas, de tom de voz e frases queridas porque isso é poder te abraçar em aconchego, com braços muito mais longos que o oceano. Meus passos são acompanhados pelos teus, numa sombra transparente de caminhos que se fazem os mesmos, ainda que em terras distantes e eu sinto nossas mãos dadas e sinto que nunca mais estarei sozinha. Vês? Estás aqui bem perto e minha saudade faz companhia à tua.

Patrícia Antoniete