Não há poema no mundo que não nos pertença…

amanhecendo - by kika domingues
Eu sei que mesmo as coisas que fazem falta estão presentes. Sei que estás aqui comigo porque o nosso amor é uma música que coreografa a minha vida. Eu visto a casa para morar com essa sua presença, estendo a cama à tua maneira e cozinho o que gostaria que comesses comigo. Quando rio, sei que tu gostarias de me ouvir gargalhar e, assim, tu és responsável pela minha risada um tantinho mais alta do que costumava ser, um tantinho mais solta do que costumava ser, um tantinho mais colorida. Todas as músicas passaram a ser nossas de alguma forma, por alguma frase, e não há poema no mundo que não nos pertença. Meus gestos, todos, passaram a ser reféns do teu olhar e, mesmo de longe, eu sei que teus olhos estão em mim e então faço mimetismo de ombros e caretas, de tom de voz e frases queridas porque isso é poder te abraçar em aconchego, com braços muito mais longos que o oceano. Meus passos são acompanhados pelos teus, numa sombra transparente de caminhos que se fazem os mesmos, ainda que em terras distantes e eu sinto nossas mãos dadas e sinto que nunca mais estarei sozinha. Vês? Estás aqui bem perto e minha saudade faz companhia à tua.

Patrícia Antoniete

Afinal? o que será essa tal FELICIDADE?!… Moraes Moreira (Pão e Poesia)

Trilha por Triunfo -Pernambuco - Kika e crianças por Luciene

Pão e Poesia

Moraes Moreira

Felicidade é uma cidade pequenina
é uma casinha é uma colina
qualquer lugar que se ilumina
quando a gente quer amar

Se a vida fosse trabalhar nessa oficina
fazer menino ou menina, edifício e maracá
virtude e vício, liberdade e precipício
fazer pão, fazer comício, fazer gol e namorar

Se a vida fosse o meu desejo
dar um beijo em teu sorriso, sem cansaço
e o portão do paraíso é teu abraço
quando a fábrica apitar

Felicidade é uma cidade pequenina
é uma casinha é uma colina
qualquer lugar que se ilumina
quando a gente quer amar

Numa paisagem entre o pão e a poesia
entre o quero e o não queria
entre a terra e o luar
não é na guerra, nem saudade nem futuro
é o amor no pé do muro sem ninguém policiar

É a faculdade de sonhar é uma poesia
que principia quando eu paro de pensar
pensar na luta desigual, na força bruta, meu amor
que te maltrata entre o almoço e o jantar

Felicidade é uma cidade pequenina
é uma casinha é uma colina
qualquer lugar que se ilumina
quando a gente quer amar

O lindo espaço entre a fruta e o caroço
quando explode é um alvoroço
que distrai o teu olhar
é a natureza onde eu pareço metade
da tua mesma vontade
escondida em outro olhar

E como o doce não esconde a tamarinda
essa beleza só finda
quando a outra começar
vai ser bem feito nosso amor daquele jeito
nesse dia é feriado não precisa trabalhar

Pra não dizer que eu não falei da fantasia
que acaricia o pensamento popular
o amor que fica entre a fala e a tua boca
nem a palavra mais louca, consegue significar: felicidade

Felicidade é uma cidade pequenina
é uma casinha é uma colina
qualquer lugar que se ilumina
quando a gente quer amar

Clique para ouvir a melhor interpretação dessa poesia de Moraes Moreira

https://www.youtube.com/watch?v=Di3U6tZ7O9E