TUDO É EFÊMERO…

Não penses para amanhã. Não lembres o que foi de ontem. A memória teve o seu tempo quando foi tempo de alguma coisa durar. Mas tudo hoje é tão efémero. Mesmo o que se pensa para amanhã é para já ter sido, que é o que desejamos que seja logo que for. É o tempo de Deus que não tem futuro nem passado. Foi o que dele escolhemos do nosso absoluto. Não penses para amanhã na urgência de seres agora. Mesmo logo à tarde é muito tarde. Tudo o que és em ti para seres, vê se o és neste instante. Porque antes e depois tudo é morte e insensatez. Não esperes, sê agora. Lê os jornais. O futuro é o embrulho que fizeres com eles (…).

Vergílio Ferreira

O OLHAR DO AMOR…

Porque somos sós,

Somos únicos…

Somos como uma ilha,

Cercada de amor por todos os lados;

Basta querer enxergar…

Laura By Miguel Alcoforado - Viagem de volta Paris - Alemanha

Laura By Miguel Alcoforado – Viagem de volta Paris – Alemanha

Laura

Laura é um rosto numa luz misteriosa

Passos que você ouve descendo o corredor

Risos que flutuam numa noite de verão

que você nunca pode esquecer.

E você vê laura como em um trem passando

Aqueles olhos, como familiar eles são.

Ela deu lhe seu primeiro beijo

Isto era Laura, mas ela é somente um sonho.

(David Raksin)

http://en.wikipedia.org/wiki/David_Raksin

Ao piano com Erroll Garner – Laura (1954)

http://www.youtube.com/watch?v=ark6RNlnjns&feature=related

Laura, o Filme

http://pt.wikipedia.org/wiki/Laura_(filme)

Clipe do filme:

http://www.youtube.com/watch?v=lE020xpAZW8&feature=related

 Giene Tierne, protagonista do filme:

http://www.youtube.com/watch?v=CFnwJDercZs&feature=related

O CORAÇÃO SABE…

Intuição

É como um flash que dispara de repente e sem explicação.

Só pra deixar os outros cinco sentidos com a impressão

de terem visto uma fotografia que ainda não foi revelada.

http://diariosdabicicleta.blogspot.com.br/2011/10/intuicao.html

Para viajar na fotografia SURREAL de Julie Waroquier clique também:

http://www.youtube.com/watch?v=tLccfFZa2qI&feature=relmfu

Há que se guardar na alma… O que vimos, o que fizemos, o que sentimos…

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Foi isto que me ensinou o ventre do mar.
Que quem viu a verdade ficará para sempre inconsolável.
E que realmente salvo é apenas quem nunca esteve em perigo. (…)
E aquilo que vimos ficará nos nossos olhos,
aquilo que fizemos ficará nas nossas mãos,
aquilo que sentimos ficará na nossa alma.”
Alessandro Baricco, Oceano Mare

Fotos By Kika Domingues via celular;

Efeitos http://pixlr.com/o-matic/

OS GIRASSÓIS E NÓS …

www.google.com

Eles são submissos. Mas não há sofrimento nesta submissão. A sabedoria vegetal os conduz a uma forma de seguimento surpreendente. Fidelidade incondicional que os determina no mundo, mas sem escravizá-los.
A lógica é simples. Não há conflito naquele que está no lugar certo, fazendo o que deveria. É regra da vida que não passa pela força do argumento, nem tampouco no aprendizado dos livros. É força natural que conduz o caule, ordenando e determinando que a rosa realize o giro, toda vez que mudar a direção do Regente.
Estão mergulhados numa forma de saber milenar, regra que a criação fez questão de deixar na memória da espécie. Eles não podem sobreviver sem a força que os ilumina. Por isso, estão entregues aos intermitentes e místicos movimentos de procura. Eles giram e querem o sol. Eles são girassóis.
Deles me aproximo. Penso no meu destino de ser humano. Penso no quanto eu também sou necessitado de voltar-me para uma força regente, absoluta, determinante. Preciso de Deus. Se para Ele não me volto corro o risco de me desprender de minha possibilidade de ser feliz. É Nele que meu sentido está todo contido. Ele resguarda o infinito de tudo o que ainda posso ser. Descubro maravilhado. Mas no finito que me envolve posso descobrir o desafio de antecipar no tempo, o que Nele já está realizado.
Então intuo. Deus me dá aos poucos, em partes, dia a dia, em fragmentos.
Eu Dele me recebo, assim como o girassol se recebe do sol, porque não pode sobreviver sem sua luz. A flor condensa, ainda que de forma limitada, porque é criatura, o todo de sua natureza que o sol potencializa.
O mesmo é comigo. O mesmo é com você. Deus é nosso sol, e nós não poderíamos chegar a ser quem somos, em essência, se Nele não colocarmos a direção dos nossos olhos.
Cada vez que o nosso olhar se desvia de sua regência, incorremos no risco de fazer ser o nosso sol, o que na verdade não passa de luz artificial.
Substituição desastrosa que chamamos de idolatria. Uma força humana colocada no lugar de Deus.
A vida é o lugar da Revelação divina. É na força da história que descobrimos os rastros do Sagrado. Não há nenhum problema em descobrir nas realidades humanas algumas escadarias que possam nos ajudar a chegar ao céu. Mas não podemos pensar que a escadaria é o lugar definitivo de nossa busca. Parar os nossos olhos no humano que nos fala sobre Deus é o mesmo que distribuir fragmentos de pólvora pelos cômodos de nossa morada. Um risco que não podemos correr.
Tudo o que é humano é frágil, temporário, limitado. Não é ele que pode nos salvar. Ele é apenas um condutor. É depois dele que podemos encontrar o que verdadeiramente importa. Ele, o fundamento de tudo o que nos faz ser o que somos. Ele, o Criador de toda realidade. Deus trino, onipotente, fonte de toda luz.
Sejamos como os girassóis…
Uma coisa é certa. Nós estamos todos num mesmo campo. Há em cada um de nós uma essência que nos orienta para o verdadeiro lugar que precisamos chegar, mas nem sempre realizamos o movimento da procura pela luz.
Sejamos afeitos a este movimento místico, natural. Não prenda os seus olhos no oposto de sua felicidade. Não queira o engano dos artifícios que insistem em distrair a nossa percepção. Não podemos substituir o essencial pelo acidental. É a nossa realização que está em jogo.
Girassol só pode ser feliz se para o Sol estiver orientado. É por isso que eles não perdem tempo com as sombras.
Eles já sabem, mas nós precisamos aprender.

Pe. Fábio de Melo

NÃO DEIXE DE ESCUTAR ESSA MÚSICA…

http://www.youtube.com/watch?v=hU5pI8niESw&feature=related