VIDA POSSÍVEL!! – LYA LUFT

*** 

°°°°°°°°°°°°°  

Das coisas boas e belas que acabaram

nos vêm sempre uma luz

e uma capacidade de ver o mais banal

com algum encantamento.
Essa é a secreta mirada que todo mundo pode ter,

mas que o acúmulo de compromissos, o excesso de deveres,

a exigência de sermos cada vez mais competentes e eficazes,

talvez nos roube um pouco.
Esse secreto olhar cada um pode deixar vir à tona.
E a vida voltará a ser possível…»

(Lya Luft)

————

Lya Luft (Santa Cruz do Sul, 15 de setembro de 1938)

é uma escritora brasileira.

Lya, além de romancista, poetisa e tradutora

(inglês-português/alemão-português),

é também professora universitária.

Em  2003, com a obra Perdas e ganhos,

a autora ganhou projeção nacional no Brasil,

 o que é um feito relevante dadas as dimensões continentais

do país e um número relativamente pequeno de leitores.

Antes disso, Lya Luft já tinha seus livros traduzidos para outros idiomas

(em alemão, inglês e outros), publicando principalmente na Europa.

Lya Luft é também colunista da revista semanal Veja. (Fonte: Wikipédia)

 

 

Previsões 2007 para os Leoninos… é por aí gente!!

 
PREVISÕES
 
Sérgio Frug na Caras escreve as previsões para os leoninos em 2007…
 
——————————
“Você não precisará agradar a ninguém, leonino.
Nem mesmo a si próprio. Basta fazer o que necessita
e confiar que tudo se encaixará da maneira mais
adequada ao momento. Você terá de enfrentar situações difíceis.
Mas o júbilo e a alegria tomarão conta de seu coração.”
 
°°°°°°°°°°°°°°°°°°

E mais… Olha o que diz o artigo do psiquiatra Paulo Sternick:

“ficar sozinho por um tempo ajuda a crescer”.

“…A solidão pode se converter em rica fonte de crescimento,

experiência e renovação.”

ºº

“…Mas este não é apenas um momento de tristeza,

é também um tempo de cultivo, plantio e esperança.

Pois o sentimento de solidão não é causado porque não há alguém do lado,

mas por se estar mal acompanhado de si próprio.”

“…É importante nos protegermos do espírito descartável da cultura atual,

da obrigação de ser ‘feliz’…”

 

As estrelas e os cometas e os meteoritos que se encontraram… desaparecem em órbitas diferentes

 

Voltei a pensar em ti…

(Maria João Lopo de Carvalho)

°  ° °  °

 

"Voltei a pensar em ti.
Um dia mais, um mês mais, um ano mais.
Em Fevereiro é sempre pior. Os bailes de máscaras
e os corações de cetim cintilante em montras de namorados
tornam-se verdadeiros avivadores de memórias.
Como o algodão doce. Deixa-nos na boca cor-de-rosa
de açúcar, um fio doce, doce e bom, de tal forma
que nem a doçura amarga volta. Assim é o amor,
“o que não mata morre…o que não morre mata."
Nós, os “mortos”, aqueles fanáticos do amor
a quem o fatalismo tocou, somos muitas vezes
toldados por esse grande defeito
de ter uma dose de amor a mais. Basta uma só.
Às vezes acontece bater certo, se a substituirmos
ou dividirmos em vez de somarmos e multiplicarmos,
porque os números são ajustes de contas infinitos,
e o infinito é quase eterno e o eterno faz dores de cabeça
por ser tão grande, tão catastrófico e nos tornar tão
impotentes perante ele. A verdade é que meio mundo
anda a chorar à socapa de outro meio.
Meio mundo arrasta o coração de dez
toneladas explodindo em culpa.
Meio mundo espera, na impaciência resignada dos dias,
que essa outra parte perdida volte. Meio mundo anseia
que o destino interceda em seu favor e lê nas estrelas e
no “tarot” toda a luz que precisa para que o planeta
gire ao contrário e as peças se toquem na mesma órbita,
naquele preciso instante matematicamente certo.
Mas o universo não é assim.
As estrelas e os cometas e os meteoritos
que se encontraram, uma vez que fosse,
ainda que inflamados em fogo,
desaparecem em órbitas diferentes,
em direções diferentes, opostas até.
E esse ponto único de cruzamento futuro é apenas absurdo.
Então, inventamos uma só palavra que define com doçura
e encanto a improbabilidade universal de dois corpos se
voltarem a encontrar com a mesma intensidade de luz –
a     s  a  u  d  a  d  e . . .
Somos apenas almas que gerem com maior ou
menor perícia essa saudade doida. (…)"
in “Coração de Cetim”, Maria João Lopo de Carvalho
 
 
 ================
 

Maria João Lopo de Carvalho nasceu em 1962,

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas

 pela Universidade Nova de Lisboa.

Professora de Português e de Inglês

 no ensino público e privado,

fundou em 1988 a Know How,

primeira escola de ensino de Inglês a crianças

 em regime extracurricular.(Fonte: Wikipédia)

 

Saber de ti…

 

***********

**

Quero Saber

 

Não me importa o que fazes para sobreviver.
Quero saber qual é a tua dor
e se tens coragem de encontrar
o que o teu coração anseia.
Não me importa saber a tua idade.
Quero saber se te arriscarias
a parecer um louco por amor,
pelos teus sonhos,
pela aventura de estares vivo.
Não me importa saber quais os planetas
que estão em quadratura com a tua lua.
Quero saber se
tocaste no âmago da tua tristeza,
se as traições da vida te ensinaram,
ou se omitiste por medo de sofrer.
Quero saber se te consegues
sentar com as dores, minhas ou tuas,
sem te mexeres para as esconder,
dilui-las ou fixá-las.
Quero saber se podes
conviver com a alegria, minha ou tua,
se podes dançar como um selvagem
e deixar o êxtase preencher-te até ao limite
sem te lembrares das tuas limitações de ser humano.
Não me importa se a história
que me contas é verdadeira.
Quero saber se és capaz
de desapontar os outros
para seres verdadeiro contigo mesmo,
se podes suportar a acusação da traição
e não traíres a tua própria alma.
Quero saber se podes ser fiel
e conseqüentemente fidedigno.
Quero saber se podes ver a beleza
mesmo que não sejam bonitos todos os dias,
e se podes sentir na tua vida
a presença de Deus.
Quero saber se podes viver com as falhas,
tuas e minhas,
e ainda estares de pé na beira do lago
e gritar para o prateado da lua cheia…. ?
Sim!
Não me importa saber onde moras
ou quanto dinheiro tens.
Quero saber se te podes levantar
depois de uma noite de pesar e desespero,
exausto, e fazeres o que tens de fazer
para as crianças.
Não me importa saber quem és,
ou como vieste aqui parar.
Quero saber se estarás a meu lado
no centro do fogo sem recuar.
Não me importa saber onde, o quê,
ou com quem tu estudaste.
Quero saber o que sustenta o teu interior
quando tudo o resto desaba.
Quero saber se podes estar só contigo mesmo
e se verdadeiramente gostas da companhia
que carregas nos teus momentos vazios.

(Texto de Oriah Mountain Dreamer)

 

""Aliando honestidade, bom-humor,

sabedoria e compaixão pelo sofrimento humano,

Oriah busca inspirar a si própria e aos outros

 a desenvolverem a compaixão, a bondade e a sabedoria"

 

(fonte  www.esextante.com.br)